Construindo pontes e travessias: das mediações sociais à mediação intercultural

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Ricardo Vieira
Ana Vieira

Resumo

Neste texto clarificam-se alguns conceitos e pilares habitualmente afetos à mediação. Particularmente, distingue-se a mediação intercultural que dentro de todas as mediações sociais é a que mais investe na prevenção, transformação, educação e reabilitação. Discute-se a neutralidade e a imparcialidade e sugere-se a opção pelo conceito de multiparcialidade que permite conciliar a empatia com as partes, no sentido da compreensão émica, e, simultaneamente, com a busca da equidade. Critica-se o uso abusivo do conceito de tolerância e propõe-se o de respeito como pilar da convivência entre diferentes.
Assume-se a mediação intercultural como tendo potencialidade para atravessar todas as mediações socioculturais (familiar, comunitária, pessoal, laboral, escolar...) se se assumir o intercultural como paradigma que rompe com o culturalismo. Desta forma, a mediação intercultural não está presente apenas em contextos de forte multiculturalidade como é o exemplo da coexistência de pessoas migrantes.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Vieira, R., & Vieira, A. (2017). Construindo pontes e travessias: das mediações sociais à mediação intercultural. Medi@ções, 5(1), 44–56. Obtido de https://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/article/view/150
Secção
Dossier