Os sentidos da aprendizagem ao longo da vida na educação de adultos: Dos debates teóricos às perceções sobre os impactos do processo de RVCC a nível pessoal, profissional e social

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Sandra Simplício
Cláudia Neves

Resumo

Este artigo pretende discutir alguns aspetos em torno da Aprendizagem ao Longo da Vida no panorama educativo atual, nomeadamente os principais debates teórico-ideológicos que caraterizam os discursos dos últimos anos, evidenciando assim os sentidos ao nível macro. Procuramos, depois, contextualizar os contornos da política de Aprendizagem ao Longo da Vida portuguesa, analisando a evolução do processo político da educação de adultos em Portugal, aquilo que denominamos nível meso. E, finalmente daremos conta das perceções dos indivíduos relativamente ao impacto que a frequência em processos de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências, uma das implementações mais marcantes da política de educação de adultos em Portugal, teve ao nível pessoal, social e profissional. Pretendemos, desta forma, explorar contradições e potencialidades nos debates teóricos, analisar enquadramentos políticos e compreender as perceções individuais.
No essencial, este artigo procura definir os contornos explícitos e implícitos de uma política de Aprendizagem ao Longo da Vida orientada para adultos e analisar a influência que a evolução das políticas de educação e formação de adultos, a nível internacional e nacional, tem a um nível micro (perceção dos atores envolvidos) tendo em vista identificar os diferentes sentidos associados às aprendizagens.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Simplício, S., & Neves, C. (2014). Os sentidos da aprendizagem ao longo da vida na educação de adultos: Dos debates teóricos às perceções sobre os impactos do processo de RVCC a nível pessoal, profissional e social. Medi@ções, 2(2), 81–97. Obtido de https://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/article/view/66
Secção
Dossier