O capitalismo: obstáculo à educação enquanto projeto adiado de emancipação humana

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Augusto Pinheiro

Resumo

As posições enunciadas neste artigo fundam-se, de forma clara e inequívoca, nas interpretações radicais de duas teorias da suspeição: a marxista (Karl Marx, Lukäcs e Debord), e a psicanalítica (as posições teóricas dos psicanalistas pertencentes ao Quarto Grupo).
O texto inicia-se com uma retrospetiva crítica de século e meio da ordem social capitalista. Esta primeira secção inclui quatro partes: a) enquadramento genérico da dominação capitalista; b) crítica dos capitalismos de mercado e de estado; c) as expectativas desaparecidas dos anos 60 do século XX; d) crítica das últimas aventuras da “democracia” neoliberal.
Estabelecida esta crítica global do capitalismo, seguem-se alguns comentários relativamente aos retrocessos registados nas três últimas décadas no pensamento académico, sendo conferido especial destaque ao cerco organizado em torno da teoria marxista radical e da teoria psicanalítica.
Seguidamente, são explorados alguns dos dilemas e vicissitudes que ameaçam inviabilizar definitivamente o projeto de emancipação educativa na sociedade capitalista.
Em corolário, são consideradas algumas modalidades de pensamento, de resistência e de contestação na intervenção dos docentes e dos formadores, que permitam criar aberturas e organizar ações pedagógicas que se prestem à denúncia, resistência e contestação da mistificação alienante capitalista.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
Pinheiro, A. (2013). O capitalismo: obstáculo à educação enquanto projeto adiado de emancipação humana. Medi@ções, 2(1), 64–78. Obtido de https://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/article/view/57
Secção
Dossier
Biografia Autor

Augusto Pinheiro

Departamento de ciências sociais e pedagogia