O planeamento em função do contexto competitivo e das tarefas de treino no Surf

Miguel Moreira

Resumo


A teoria do treino está suportada no conceito de periodização enquadrando o pla-neamento e a análise do treino. O problema é a falta de alternativas na perspectiva do treinador, devido à focalização nas referências fisiológicas.
Assim pretende-se enquadrar o planeamento, com a qualidade das tarefas de práti-ca, e com o contexto competitivo, como forma alternativa à periodização, e quanti-ficação da carga de treino, baseadas em variáveis fisiológicas. Realizamos uma análise da bibliografia e observação direta da etapa World Surfing League de Pe-niche (2010 e 2015), para caracterizar o contexto competitivo, e caracterizamos o treino através do registo de ocorrências. Os surfistas fazem em média 11,2h de surf e 3,9h de condição física. O volume foi de 11,6 ondas com 41,7 manobras e a intensidade de 0,22 ondas/min e 3,6 manobras/onda. Na competição temos uma média de 8,3 ondas/bateria, com 3,6 manobras/onda e 5,4 pontos/onda, O planea-mento baseia-se nas tarefas de prática: aprendizagem das técnicas, ligações de manobras e rendimento na onda.
O planeamento é efectuado em função do contexto competitivo e através das tare-fas de treino. As tarefas da condição física não são o cerne do treino e da periodi-zação, e não podem ser planeadas separadamente, porque são complementares ao surf.

Texto Completo:

PDF




MEDI@ÇÕES - Revista Online da ESE/IPS
ISSN: 1647-3078

http://mediacoes.ese.ips.pt
mediacoes@ese.ips.pt